A História de Um Anjo

 

Leitor(a) amigo(a), A História de Um Anjo é um livro maravilhoso, impossível não gostar. Depois de ler este livro fiquei ainda mais interessada no período de transição do planeta Terra e li outros livros sobre o tema:

  1.  Quando Ele Voltar, de Rick Medeiros
  2. Universalismo Crístico e
  3. A Nova Era, do mesmo autor de A História de Um Anjo.

São mensagens de fé e esperança de que dias melhores virão. E o melhor, já estão a caminho!

Quem despertar para a importância de seguir a própria consciência em um
processo sincero de busca do autoconhecimento pode se considerar um
bem-aventurado.
Não percamos tempo!
Paz e bem!Marlene Oliveira
 

PS.
Postado originalmente em 13/10/2009. De lá pra cá já li muitos outros
livros e continuo recomendando a leitura de A História de Um Anjo, que é
uma espécie de pré requisito para os demais. Muito obrigada!
Share

A História de Um Anjo

Leitor(a) amigo(a),

A História de Um Anjo é um livro maravilhoso, impossível não gostar. Mais informações no link abaixo onde você vai encontrar uma resenha feita com competência, de leitura fácil, completa!

Depois de ler este livro fiquei ainda mais interessada no período de transição do planeta Terra e li outros livros sobre o tema:

  1. Quando Ele Voltar, de Rick Medeiros
  2. Universalismo Crístico e
  3. A Nova Era, do mesmo autor de A História de Um Anjo.

São mensagens de fé e esperança de que dias melhores virão. E o melhor, já estão a caminho!

Quem despertar para a importância de seguir a própria consciência em um processo sincero de busca do autoconhecimento pode se considerar um bem-aventurado.
Não percamos tempo!
Paz e bem!

Marlene Oliveira
 

PS. Postado originalmente em 13/10/2009. De lá pra cá já li muitos outros livros e continuo recomendando a leitura de A História de Um Anjo, que é um pré requisito para os demais. Muito obrigada!
Share

Regras áureas das 10 grandes religiões do mundo:

Cristianismo:
” Tudo quanto queres que os outros façam para ti, faze-o também para eles…”
Confucionismo:
” Não faças ao outros aquilo que não queres que eles te façam. “
Budismo:
” De cinco maneiras um verdadeiro líder deve tratar seus amigos e dependentes: com generosidade, cortesia, benevolência, dando o que deles espera receber e sendo tão fiel quanto à sua própria palavra.”
Hinduísmo:
” Não faças aos outros aquilo que, se a ti fosse feito, causar-te-ia dor.”
Islamismo:
” Ninguém pode ser um crente até que ame o seu irmão como a si mesmo “
Sikhismo:
” Julga aos outros como a ti mesmo julgas. Então participarás do Céu. “
Jainismo:
” Na felicidade e na infelicidade, na alegria e na dor, precisamos olhar todas as criaturas assim como olhamos a nós mesmos. ”
Zoroastrismo:
” A Natureza só é amiga quando não fazemos aos outros nada que não seja bom para nós mesmos.”
Taoísmo:
” Considera o lucro do teu vizinho como teu próprio e o seu prejuízo como se também fosse teu. “
Judaísmo:
” Não faças ao teu semelhante aquilo que para ti mesmo é doloroso. ”
Share

Está acontecendo agora!


“Estamos no limiar da grande transição, em que o nosso planeta passará da condição de mundo de provas e expiações para mundo de regeneração. Isso já constava no planejamento celestial há muito tempo e não se dará, obviamente, num passe de mágica, pois se trata de um processo de transformação lento e gradual, porém, impostergável.

As tragédias naturais, como o tsunami do Oceano Índico – objeto de nossas considerações – fazem parte desse processo, pois elas têm o objetivo de fazer a Humanidade progredir mais depressa, através do expurgo daqueles Espíritos calcetas, refratários à ordem e à evolução moral e espiritual, que já não podem mais ser retardadas. Eles passarão algum tempo em outras esferas, aprendendo as leis do Amor e do Bem, até que tenham condições de retornar ao nosso planeta, para dar seu contributo em benefício do progresso da Humanidade.
Nesta extraordinária obra, o leitor conhecerá os mecanismos e as razões de Ordem Superior da transição planetária, em favor das mudanças urgentes e necessárias que promovam o respeito às leis à ética e à Natureza, transformando o homem num ser integral, consciente dos seus deveres para com Deus, consigo próprio e o próximo.”

Fonte: Site Oficial de Divaldo Pereira Franco

Depoimento de Roger Bottini Paranhos: “Leiam o livro, pois ele é realmente ótimo. Fiquei muito feliz em ler informações que já abordávamos há anos como, por exemplo, o novo estágio espiritual da humanidade, abandonando o instinto e rumando para o despertar da consciência, o exílio dos rebeldes para os mundos de ordem inferior, a Terra como herança para os pacíficos, influência de espíritos extraterrestres auxiliando-nos nesse período de transição, entre outras importantes informações sempre relatadas com o brilhantismo característico do Divaldo.” Fonte: Roger Responde 2010, pergunta nº 54.

Fica a dica.

Muita luz!

Share

A Caminho da Nova Era (trecho)

Foto/wallpaper: Dusky Dolphin, New Zealand.

Os grandes mestres da Espiritualidade nos informam que a chegada do terceiro milênio indica o fim da Era de Peixes, regida pela mensagem amorosa de Jesus, e o início do ciclo de Aquário, período em que a humanidade terá novas metas a alcançar em sua senda evolutiva.

Após o período de transição para a Nova Era, somente os espíritos eleitos através da conquista do amor e das demais virtudes cristãs obterão o ingresso para prosseguirem reencarnando na Terra, enquanto os rebeldes que não se enquadrarem dentro do perfeito código moral do Evangelho de Jesus serão exilados para um mundo de ordem inferior, onde realizarão suas experiências reencarnatórias futuras, sempre lamentando o paraíso perdido, assim como descrito na lenda bíblica a respeito de Adão e Eva.

O cenário acima descrito convida-nos a profundas reflexões…

Se estamos aqui encarnados nesse crucial momento de evolução de nossa humanidade (e temos consciência disso) é porque assumimos um compromisso com a Alta Espiritualidade antes de reencarnarmos no sentido de promovermos a evolução das religiões preparando-as para a mentalidade da Era de Aquário, ou seja, direcionando-as para uma verdadeira consciência espiritual, liberta de dogmas e rituais exteriores, procurando voltá-las para uma sincera e exclusiva busca do amor e da sabedoria incondicionais.

O que resume a nossa presença na “Terra física”, ou seja, estarmos reencarnados no mundo material, é a necessária conquista de “evolução”, não somente no campo espiritual propriamente dito, mas em todos os sentidos. É fundamental que nos tornemos pessoas melhores a cada dia para nos libertarmos da barbárie rumo a um nível superior de civilidade, que se assemelha ao reino dos Céus pregado por Jesus em suas maravilhosas parábolas evangélicas. […]”

Roger Bottini Paranhos site Universalismo Crístico.
Share

SÃO CHEGADOS OS TEMPOS

Imagem: Google
Leitor(a) Amigo(a),

São chegados os tempos é o título do Cap. XVIII do livro A Gênese, escrito por Allan Kardec e publicado em 1868.  Acredito que é o primeiro livro espírita que trata do fenômeno da transição planetária que vivemos atualmente.

Tenho lido muito sobre este tema, por demais instigante, que deve interessar, imagino, pessoas aos milhares mundo afora.

A novidade é que, cada vez mais, os livros religiosos tratam do assunto, sejam em romances, crônicas, relatos.

O livro Crepúsculo dos Deuses, de Robson Pinheiro, daria um excelente filme que seria classificado como ficção – e teria que dispor de muitos efeitos especiais para contar a extraordinária história!

Para quem gosta do tema é uma alegria dispor de tantas publicações. O médium André Luiz Ruiz psicografou uma trilogia (hoje terminei de ler o último dos três livros, intitulado Herdeiros do Novo Mundo) onde, em situações do nosso dia a dia, mostra que a separação dos espíritos a serem exilados para o Planeta X já está em curso. Um planeta se aproxima de nós. Define-se nos dias atuais quem será ou não exilado para lá. Como Rick Medeiros afirma em seu livro Mensagens do Além: está acontecendo agora!

Que tal mergulhar em histórias lindas e ainda ficar por dentro dos bastidores da nova era? Sugiro ainda a leitura do livro A História de Um Anjo, de Roger Bottini Paranhos, como um excelente começo.

Depois, os outros livros do mesmo autor, os livros de Robson Pinheiro – o que eu já citei e Legião, que vai levar você a outros do mesmo autor porque seus livros são, realmente, atraentes.

E outras obras: Exilados por Amor, Sandra Carneiro pelo espírito Lucius; Mensagens do Astral Hercílio Maes pelo espírito Ramatis. Você sabe alguma que não citei? Recomende-me! 🙂

Sem falar que para 2012 há previsões de… comentaremos em outro post!

Alegria em seu coração! E na alma, Paz!

Marlene Oliveira

Share

A singularidade de Jesus e a condição bíblica para a salvação comentadas.

Imagem: Mirrored Wings
Querido(a) Leitor(a),
 
Todos os textos que tratam da singularidade de Jesus apontam para os perigos do pluralismo pós-modernista.
Antes de expor minha ideia baseada no Evangelho de Jesus Cristo, passo a explicar, em breves palavras, o que significam as expressões ecumenismo, singularidade de Cristo e Pluralismo pós-modernista.
 
ECUMENISMO – entre estas é a expressão mais conhecida e emprega-se o termo para os esforços em favor da unidade entre igrejas cristãs.
SINGULARIDADE DO CRISTO textos-chave: Atos 4.12, 1João5.11-12 e, especialmente “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim.” (Jesus, João 14.6).  Singular quer dizer único, exclusivo, ou seja, Jesus é o caminho único que leva à salvação.
PLURALISMO PÓS-MODERNISTA –
ou secularismo, relativismo, pós-modernismo e pluralismo. Entramos nos
tempos pós-modernos na segunda metade do século passado, com os seus
prós e os seus contras. Para resumir vou citar um pró e um contra:
Pró – o abandono da arrogância cultural e teológica, exposta anteriormente quando explicamos o restritivismo. Afinal,
um Deus de amor não deixará de fora outras nações não evangelizadas. Os
que defendem esta tese talvez carreguem o desejo de poder e de culto ao
orgulho e à vaidade pois, em suas posições dogmáticas, acreditam serem
os donos exclusivos da verdade.
Contra – a
inversão dos valores que validam comportamentos que não condizem com a
moral cristã, ao abrir mão de ensinar a negação de nós mesmos lutando
contra nossos próprios pecados, a fim de nos melhorarmos a cada dia.
Ocorre que teólogos, pastores e seminaristas questionaram, quanto à singularidade de Cristo: 

1/  “As pessoas devem conhecer o Evangelho de Jesus Cristo para serem salvas?”
2/  “Há pessoas devotas, em outras religiões, as quais confiam  em Deus e assim recebem a salvação eterna?”
Para responder a estas perguntas teólogos, pastores e seminaristas investigaram o assunto sob as perspectivas bíblica, teológica e filosófica criando três pontos de vista sobre o destino dos não-evangelizados: Restritivismo, Inclusivismo e Perseverança Divina. Vejamos o que diz cada um:
Restritivismo: afirma que Deus não provê salvação para aqueles que não ouvem acerca de Jesus.
·   Inclusivismo: defende que os não-evangelizados podem vir a ser salvos, se responderem a Deus em fé, baseados na revelação que possuem. Textos-chave: João 12.32, Atos 10.43 e 1Timóteo 4.10. 
P Perseverança Divina (ou Evangelismo Post-mortem): crê que os não evangelizados recebem uma oportunidade de crer em Jesus depois da morte. Textos-chave: João 3.18, 1Pedro 3.18-4.6.
Conclusão
Proponho desde logo um progresso de ideias para o que é santo, justo e verdadeiro. 
Esqueçamos a pós-modernidade que teve início na segunda metade século passado e vamos olhar para o futuro, que é a Nova Era, que surge no horizonte da vida humana assim como profetizou Jesus há dois mil anos.
Jesus nos diz claramente do que precisamos fazer para sermos salvos em Lucas, 10:25-37.
Toda a moral de Jesus se resume na caridade e na humildade, duas virtudes contrárias ao egoísmo e ao orgulho, assim como os dois mandamentos maiores são amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo. (Também em Mateus, 22:34-40).
Em Mateus 25:31-46, ou seja, naquele julgamento supremo, o Juiz perguntará se preenchemos tal ou qual formalidade, se observamos mais ou menos tal ou qual prática exterior? Não! Inquire tão somente, em última análise, se a caridade foi praticada.
Naquele mesmo julgamento, informa-se, por acaso, da ortodoxia da fé? 
Faz qualquer distinção entre o que crê de um modo e o que crê de outro modo? 
Não! Jesus coloca o samaritano, considerado herético, mas que pratica o amor ao próximo, acima do ortodoxo que falta com a caridade.
Não considera, portanto, a caridade como uma das condições para a salvação, mas como condição única!
Desse modo, vamos ficar com o inclusivismo explicado acima, pois aquele que não conhece Jesus mas pratica a caridade, que é um claro sinal de que ama ao seu próximo,  está, mesmo sem saber, cumprindo os ensinamentos de Jesus. 
Obrigada por sua visita e até o próximo post!

Marlene Oliveira

Share