Feliz Natal!

Vídeo e poesia de (clique para visitar) @cirandadeversos .

Feliz Natal e um Novo Ano de esperanças renovadas: que venham dias melhores para todos nós. Desejando muita saúde e paz para você e sua família, nos despedimos deste ano de 2017, com o coração repleto de gratidão a Deus.

Lembrem-se sempre que o ato de agradecer libera o fluxo de receber.

Boas festas e até breve,

Marlene

Share

Semana do Natal. Reflexão.

Fotografia: de bem com a vida em Oslo, Noruega.

Leitor(a) amigo(a),

Jesus fez da prática das virtudes condição expressa de salvação.

E sem dúvida Ele tratou os diferentes de seu tempo com tanto amor e igualdade que escandalizou os escribas e os fariseus hipócritas.

Pense nisso!

Jesus disse claramente para não julgarmos (Mateus 7:1).

“O que possuímos são verdades relativas que precisam ser estimuladas passo a passo ao progresso para lentamente diminuirmos a longa distancia que nos separa do Criador. Acreditar que toda a filosofia espiritual já foi descoberta, ou ditada por determinado guru ou líder religioso, é escravizar-se à ignorância.” Hermes.

“A dificuldade não está em aceitar novas ideias, mas em se libertar das velhas.” John Maynard Keynes.

“Para mim, as diferentes religiões são lindas flores, provenientes do mesmo jardim. Ou são ramos da mesma árvore majestosa. Portanto, são todas verdadeiras.”. (Mahatma Ghandi)

Conecte-se com o seu templo interior: o seu coração contrito em Deus. Ele te dirá, em qualquer situação, o caminho a seguir! Sua  consciência é livre e te autoriza a arbitrar sobre seus pensamentos, ideias, palavras e atos,  contudo, lembremo-nos do aforismo grego “conhece-te a ti mesmo”, pois o  autoconhecimento é condição essencial para a conquista da paz interior, autoconfiança, autoestima, equilíbrio emocional…

Ser livre é seguir a própria consciência em um processo sincero de busca do autoconhecimento e da espiritualidade, como propõe o Universalismo Crístico.

Boa reflexão e muita paz!

Marlene Oliveira

Share

A Realeza de Jesus

Wallpaper: Serene Waterway
“Tornou a entrar Pilatos no palácio, e chamou a Jesus, e disse: Tu és o rei dos judeus? respondeu-lhe Jesus: O meu reino não é deste mundo; se o meu
reino fosse deste mundo, certo que os meus ministros haveriam de pelejar
para que eu não fosse entregue aos judeus; mas por agora o meu reino
não é daqui. Disse então Pilatos: Logo, tu és rei? Respondeu Jesus: Tu o
dizes. Eu sou rei. Eu não nasci nem vim a este mundo senão para dar
testemunho da verdade; todo aquele que é da verdade ouve a minha voz.”
(João, 18:33, 36 e 37)
O reino de Jesus não é deste mundo, é o que todos entendem. Mas, na Terra, não terá Jesus uma realeza?
O título de rei nem sempre implica o exercício do poder provisório. Ele é
dado por meio de uma concordância de todos aos que, por sua
genialidade, colocam-se em influindo sobre o progresso da Humanidade. É
nesse sentido que se diz: O rei ou o príncipe dos filósofos, dos
artistas, dos poetas, dos escritores, etc. Essa realeza, nascida do
mérito pessoal, consagrada no tempo, não tem, muitas vezes, maior valor e
importância do que aquele que leva a coroa? Ela é imortal e sempre
abençoada pelas gerações futuras, enquanto a outra é jogo de
oportunidades e, às vezes, amaldiçoada.
A realeza terrena termina com a vida; a realeza moral ainda governa,
sobrepondo-se além da morte. Sob esse aspecto, Jesus não é um rei mais
poderoso do que todos os soberanos? Foi, pois, com razão que disse a
Pilatos: Eu sou rei, mas meu reino não é deste mundo.
[…]
Para  se preparar um lugar neste reino celeste, é preciso a abnegação, a
humildade, a caridade em toda a sua prática cristã, a benevolência para
com todos. Não se pergunta o que foste, que posição ocupaste, mas o bem
que fizeste, as lágrimas que enxugaste.
Senhor, Jesus! Disseste que o teu reino não é deste mundo, pois é preciso sofrer para alcançar o Céu, e pelos degraus do trono não nos aproximamos dele. São os atalhos mais difíceis da vida que nos levam para lá. Procura, então, o caminho nas dificuldades e nos espinhos e não entre as flores.
Os homens correm atrás dos bens terrenos como se pudessem guardá-los para sempre; mas aqui não há mais ilusões. Logo percebemos que apenas nos apoderamos de uma sombra e que desprezamos os únicos bens sólidos e duráveis, os únicos que nos seriam úteis na morada celeste, e os únicos que poderiam dar acesso a essa morada.Textos bons pra reflexão, leitor(a) amigo(a)! Retirei-os do Capítulo 2 do livro O Evangelho Segundo o Espiritismo, de Allan Kardec.

 Obrigada pela visita! Alegria e Paz!

Marlene Oliveira

Share

Perdoe.

 Foto: Te Anau – Nova Zelândia

Leitor(a) amigo(a),

“Se alguém o ofendeu ou prejudicou, saiba perdoar.

Quem ofende intencionalmente demonstra fraqueza ou carências; quem perdoa demonstra nobreza de sentimentos, mantendo-se acima da faixa de circulação do mal.

Poder-se-ia dizer que nós perdoamos, Deus não. O perdão do homem é um bem, o perdão de Deus seria um  mal. Cada um precisa pagar o doloroso tributo dos erros cometidos a fim de corrigir-se,  buscando o caminho da Perfeição.

Não guarde ressentimento ou mágoa. Quem faz mal a outro, em verdade está prejudicando a si mesmo somente.

Perdoe e siga em frente.”

TELES, ARISTON S./ PASTORINO Minutos de Luz . 11ª Edição. Sobradinho/DF:  Ano Luz, 2008.

Palavras de Jesus:

 43-47 “Vocês conhecem  a antiga lei: ‘Amem a seus amigos’, e seu complemento não escrito: ‘Odeiem seus inimigos’. Quero definir isso. Digo que vocês devem amar os inimigos, com a força da oração, pois assim agirão do fundo do seu verdadeiro ser, do ser que Deus  criou. É o que Deus faz. Ele dá o melhor – o Sol que aquece e a chuva que traz vida – a todos, sem  distinção: os bons e os maus, os simpáticos e os antipáticos.  Se tudo que vocês fazem é amar apenas quem é amável, que recompensa esperam receber? Qualquer um pode fazer isso. Querem uma medalha por cumprimentar apenas os que são simpáticos com vocês? Qualquer pecador desqualificado age assim.”
48 “Resumindo, o que quero dizer é:  cresçam! Vocês são súditos do  Reino;  tratem de viver como tais. Assumam  sua identidade, criada por Deus.  Sejam generosos uns para com os outros, pois Deus age assim com vocês”.
(Evangelho Segundo São Mateus, Capítulo 5, versículos 43-48).
Fonte:  PETERSON, Eugene H. A Mensagem: Bíblia em linguagem contemporânea – São Paulo: Editora Vida, 2011.
Fraternalmente,
Marlene Oliveira
Share

Regras áureas das 10 grandes religiões do mundo:

Cristianismo:
” Tudo quanto queres que os outros façam para ti, faze-o também para eles…”
Confucionismo:
” Não faças ao outros aquilo que não queres que eles te façam. “
Budismo:
” De cinco maneiras um verdadeiro líder deve tratar seus amigos e dependentes: com generosidade, cortesia, benevolência, dando o que deles espera receber e sendo tão fiel quanto à sua própria palavra.”
Hinduísmo:
” Não faças aos outros aquilo que, se a ti fosse feito, causar-te-ia dor.”
Islamismo:
” Ninguém pode ser um crente até que ame o seu irmão como a si mesmo “
Sikhismo:
” Julga aos outros como a ti mesmo julgas. Então participarás do Céu. “
Jainismo:
” Na felicidade e na infelicidade, na alegria e na dor, precisamos olhar todas as criaturas assim como olhamos a nós mesmos. ”
Zoroastrismo:
” A Natureza só é amiga quando não fazemos aos outros nada que não seja bom para nós mesmos.”
Taoísmo:
” Considera o lucro do teu vizinho como teu próprio e o seu prejuízo como se também fosse teu. “
Judaísmo:
” Não faças ao teu semelhante aquilo que para ti mesmo é doloroso. ”
Share

Mente sã (pensamentos) em corpo são (saúde).

Leitor(a) Amigo(a),

“Há mais coisas entre o céu e a terra do que possa imaginar vossa vã filosofia”. Esta frase atribuída a Shakespeare num momento da evolução humana em que nada ou pouco se sabia dos mistérios divinos faz-nos pensar: o que ou quem o inspirou com tanto acerto?

Em verdade, a humanidade da época de Shakespeare e a humanidade dos dias atuais difere na evolução tecnológica, mas ainda está longe de entender a evolução espiritual que se processa nos mundos.

Pelos textos antigos de diversas culturas, inclusive a Bíblia, percebemos quão atual são seus ensinamentos! Isto provavelmente significa que nós avançamos muito pouco em direção a Deus, ainda sem conseguir colocar em prática os ensinamentos de Jesus Cristo, especialmente o “amai-vos uns aos outros como eu vos amei”.

Pouco se sabe sobre o poder da oração e a força dos pensamentos, apesar de tantos debates. Já se fala em doenças psicossomáticas indicando que os sentimentos, as emoções desequilibradas, as sensações, ou seja, coisas que existem apenas no campo mental/emocional/invisível transferem-se para o campo físico/material/visível/palpável.

Pode-se concluir que os sentimentos, as emoções equilibradas, as sensações e tudo o que ocorre no campo invisível dos nossos pensamentos e sentimentos como a alegria, os bons pensamentos e o amor são preciosos antídotos no combate às doenças e também para manter um corpo físico saudável! Por que não, se o contrário se dá?

Os pensamentos e sentimentos, o stress e o modo como nos conduzimos emocionalmente na vida, acredito farão parte dos diagnósticos na medicina do futuro.

O caminho já indicado há mais de dois mil anos para a conquista de uma mente equilibrada, à disposição de qualquer pessoa, independente de seu status social, é a moral cristã. Onde encontramos este precioso guia? Nos ensinamentos contidos no Evangelho de Jesus.

A mente equilibrada comandará o corpo em harmonia e, nesse intercâmbio, surgirá a saúde ideal.

Até breve!

Marlene Oliveira

Share

Bem estar físico, mental e emocional

 

Leitor(a) amigo(a),

“Há mais coisas entre o céu e a terra do que possa imaginar vossa vã filosofia”. Esta frase atribuída a Shakespeare num momento da evolução humana em que nada ou pouco se sabia dos mistérios divinos faz-nos pensar: o que ou quem o inspirou com tanto acerto?

Em verdade, a humanidade da época de Shakespeare e a humanidade dos dias atuais difere na evolução tecnológica, mas ainda está longe de entender a evolução espiritual que se processa nos mundos.

Pelos textos antigos de diversas culturas, inclusive a Bíblia, percebemos quão atual são seus ensinamentos! Isto provavelmente significa que nós avançamos muito pouco em direção a Deus, ainda sem conseguir colocar em prática os ensinamentos de Jesus Cristo, especialmente o “amai-vos uns aos outros como eu vos amei”.

Pouco se sabe sobre o poder da oração e a força dos pensamentos, apesar de tantos debates. Já se fala em doenças psicossomáticas indicando que os sentimentos, as emoções desequilibradas, as sensações, ou seja, coisas que existem apenas no campo mental/emocional/invisível transferem-se para o campo físico/material/visível/palpável.

Pode-se concluir que os sentimentos, as emoções equilibradas, as sensações e tudo o que ocorre no campo invisível dos nossos pensamentos e sentimentos como a alegria, os bons pensamentos e o amor são preciosos antídotos no combate às doenças psicossomáticas e também para manter um corpo físico saudável! Por que não, se o contrário se dá? A ciência médica e a psicologia já assim admite.

Tristemente constatamos que até essa questão mínima aqui tratada é vista por muitos com total descrença. E assim a humanidade caminha “com passos de formiga e sem vontade”, como diz a letra de uma música de Lulu Santos.

Vivemos num mundo caótico e necessitamos buscar Deus para equilibrar nossas almas. Jesus quando se dirigiu ao Getsêmani, levou com ele os apóstolos e pediu a eles que o esperassem enquanto ele orava. Quando volta, acha os discípulos dormindo. Então ele diz a Pedro: Mt 26:41 – “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito na verdade está pronto,mas a carne é fraca”.

Eis a lição inesquecivel: “orar sempre e constantemente!”

Com a oração, a fé em Deus e em si mesmo, nossos pensamentos serão melhores e a vida muda para melhor.

Obrigada pela visita, muita paz!

Marlene Oliveira

Share

A Mensagem Crística Já Venceu Em Todo O Mundo!

“Tenho ainda outras ovelhas que não são deste aprisco; é preciso que também a essas eu conduza; elas escutarão a minha voz e haverá um só rebanho e um único pastor.” (João, 10:16.)

Querido(a) leitor(a),

A mensagem crística já venceu em todo o mundo.

Entendi que não se trata de esta ou aquela religião conquistar adeptos mundialmente.

Os grandes mensageiros de Deus no mundo não fundaram religiões.

Jesus se refere à sua mensagem, cuja essência é “O amor ao próximo como a si mesmo buscando cultivar as virtudes crísticas de forma verdadeira e incondicional refletindo diretamente o amor do próprio Criador.” (UC)

Comparem, que interessante:

“Bem-aventurados os que temem magoar outrem por pensamento, palavras e obras.” (Sufismo)

“A natureza só é amiga quando não fazemos aos outros nada que não seja bom para nós mesmos.” (Zoroastro)

“Na felicidade e na infelicidade, na alegria e na dor, precisamos olhar todas as criaturas assim como olhamos a nós mesmos.” (Mahavira)

“Julga aos outros como a ti julgas. Então participarás dos céus.” (Sikhismo)

“Ninguém pode ser crente até que ame seu irmão como a si mesmo.” (Maomé)

“De cinco maneiras um verdadeiro líder deve tratar seus amigos e dependentes: com generosidade, cortesia, benevolência, dando o que deles espera receber e sendo tão fiel quanto sua própria palavra.” (Buddha)

“Não faças aos outros aquilo que não queres que eles te façam”. (Confúcio)
“Considera o lucro de teu vizinho como o teu próprio e seu prejuízo como se também fosse teu.” (Lao-Tsé)

“Não faças ao teu semelhante aquilo que para ti mesmo é doloroso.” (Lei Judaica)

“Não faças aos outros aquilo que, se a ti fosse feito, causar-te-ia dor.” (Hinduísmo)

E, finalmente:

“Tudo quanto quereis que os homens vos façam, fazei-o também a eles.” (Jesus)

Estas frases, assim organizadas, encontrei em um livro espírita, psicografado por Norberto Peixoto, de autoria do espírito Ramatís. Elas nos mostram como são semelhantes as religiões.

Desse modo, tendo alcançado todos os povos, a mensagem de Jesus Cristo, que é a mesma de Buda, Maomé e tantos outros acima citados, é a mensagem já espalhada para toda a humanidade.

Obrigada pela visita! Paz e bem!

Marlene Oliveira

Share

A realeza de Jesus

Wallpaper: Serene Waterway

“Tornou a entrar Pilatos no palácio, e chamou a Jesus, e disse: Tu és o rei dos judeus? respondeu-lhe Jesus: O meu reino não é deste mundo; se o meu reino fosse deste mundo, certo que os meus ministros haveriam de pelejar para que eu não fosse entregue aos judeus; mas por agora o meu reino não é daqui. Disse então Pilatos: Logo, tu és rei? Respondeu Jesus: Tu o dizes. Eu sou rei. Eu não nasci nem vim a este mundo senão para dar testemunho da verdade; todo aquele que é da verdade ouve a minha voz.” (João, 18:33, 36 e 37)
O reino de Jesus não é deste mundo, é o que todos entendem. Mas, na Terra, não terá Jesus uma realeza?
O título de rei nem sempre implica o exercício do poder provisório. Ele é dado por meio de uma concordância de todos aos que, por sua genialidade, colocam-se em influindo sobre o progresso da Humanidade. É nesse sentido que se diz: O rei ou o príncipe dos filósofos, dos artistas, dos poetas, dos escritores, etc. Essa realeza, nascida do mérito pessoal, consagrada no tempo, não tem, muitas vezes, maior valor e importância do que aquele que leva a coroa? Ela é imortal e sempre abençoada pelas gerações futuras, enquanto a outra é jogo de oportunidades e, às vezes, amaldiçoada.
A realeza terrena termina com a vida; a realeza moral ainda governa, sobrepondo-se além da morte. Sob esse aspecto, Jesus não é um rei mais poderoso do que todos os soberanos? Foi, pois, com razão que disse a Pilatos: Eu sou rei, mas meu reino não é deste mundo.

[…]

Para se preparar um lugar neste reino celeste, é preciso a abnegação, a humildade, a caridade em toda a sua prática cristã, a benevolência para com todos. Não se pergunta o que foste, que posição ocupaste, mas o bem que fizeste, as lágrimas que enxugaste.
Senhor, Jesus! Disseste que o teu reino não é deste mundo, pois é preciso sofrer para alcançar o Céu, e pelos degraus do trono não nos aproximamos dele. São os atalhos mais difíceis da vida que nos levam para lá. Procura, então, o caminho nas dificuldades e nos espinhos e não entre as flores.
Os homens correm atrás dos bens terrenos como se pudessem guardá-los para sempre; mas aqui não há mais ilusões. Logo percebemos que apenas nos apoderamos de uma sombra e que desprezamos os únicos bens sólidos e duráveis, os únicos que nos seriam úteis na morada celeste, e os únicos que poderiam dar acesso a essa morada.

Textos bons pra reflexão, leitor(a) amigo(a)! Retirei-os do Capítulo 2 do livro O Evangelho Segundo o Espiritismo, de Allan Kardec.

Obrigada pela visita! Alegria e Paz!
Share

Jesus, o Bom Pastor

Leitor(a) Amigo(a),

 

 O Salmo 23 deve ser o mais conhecido, a julgar pelas músicas,
pelos livros e poemas que inspirou, pelos quadros que você certamente já
viu na sua casa, na casa de alguém ou expostos à
venda.

 

 Trouxe para você um trecho, muito significativo, extraído do livrinho “Seguro Nos Braços do Pastor,” escrito por Max Lucado, que mostra de uma maneira irretocável, a profundidade evangélica e teológica do Salmo 23,  transcrito a seguir:

 

 “Guia-me
mansamente a águas tranquilas”, declara Davi. E, caso percamos o ponto,
ele repete a frase no próximo versículo: “… guia-me pelas veredas da
justiça.”


“Guia-me.” Deus não está atrás de mim gritando “Vá!”
Ele está à minha frente convidando “Venha!” Deus está à frente,
aplainando a trilha, cortando os galhos, mostrando o caminho. Antes da
curva, Ele indica: “Vire aqui”. Ao chegar à colina, Ele aponta: “Suba
aqui”. Estando perto de rochas, ele adverte: “Cuidado para pisar aqui”. Ele
nos guia e nos diz o que precisamos saber, quando precisamos sabê-lo.
Deus nos guia. Deus fará a coisa certa no tempo certo. 

 

E
que diferença faz acreditar, como o salmista, que o amor de Deus supre
as nossas necessidades! E nos faz novas pessoas, limpa nossas emoções
das negatividades que infelizmente cultivamos, aplaca a aflição, a
ansiedade e a inquietação, proporcionando paz. Nada há de nos faltar!

 

 Deus está guiando você. Deixe para amanhã os
problemas de amanhã. […] Não precisamos saber o que acontecerá amanhã.
Precisamos apenas saber que Ele nos guia, e que “acharemos graça, a fim
de sermos ajudados em tempo oportuno” (Hb 4.16). 

 

Abaixo, transcrevo o Salmo 23, copiado do livro A Mensagem: Bíblia em linguagem contemporânea:

 

  Um Salmo de Davi
23
 ¹-³ Ó Eterno, meu pastor!
 Não preciso
de nada.
Tu me acomodaste em exuberantes campinas;
encontraste  lagos tranquilos, e deles posso
beber.
Orientado por tua palavra,
pude recuperar o alento
e seguir na direção certa.
4  Mesmo que a estrada atravesse
o vale da
Morte,
Não vou
sentir medo de nada,
porque
caminhas ao meu lado.
Teu
cajado fiel 
me
transmite segurança.
5  Tu me serves um jantar completo
na cara
dos meus inimigos,
Tu me
renovas, e meu desânimo desaparece;
minha
taça transborda de bênçãos.
6  Tua bondade e teu amor correm
atrás de mim
todos os
dias da minha vida.
Assim,
vou me sentir em casa no templo de Deus
por todo
o tempo em que eu viver.
Fonte: 
PETERSON, Eugene H.
A Mensagem: Bíblia em linguagem contemporânea – São
Paulo: Editora Vida,2011.
Graça e paz!
Marlene Oliveira

***

 

Share