Prece de Cáritas

“Deus, nosso Pai, que sois todo Poder e Bondade, dai força àquele que passa pela provação, dai luz àquele que procura a verdade; ponde no coração do homem a compaixão e a caridade!

Deus, dai ao viajor a estrela guia, ao aflito a consolação, ao doente o repouso. Pai, dai ao culpado o arrependimento, ao espírito a verdade, à criança o guia, ao órfão o pai!

Senhor, que a Vossa Bondade se estenda sobre tudo o que criastes. Piedade, Senhor, para aquele que vos não conhece, esperança para aquele que sofre. Que a Vossa Bondade permita aos espíritos consoladores derramarem por toda a parte, a paz, a esperança, a fé.Deus! Um raio, uma faísca do Vosso Amor pode abrasar a Terra; deixai-nos beber nas fontes dessa bondade fecunda e infinita, e todas as lágrimas secarão, todas as dores se acalmarão. E um só coração, um só pensamento subirá até Vós, como um grito de reconhecimento e de amor.

Como Moisés sobre a montanha, nós Vos esperamos com os braços abertos, oh Poder!, oh Bondade!, oh Beleza!, oh Perfeição!, e queremos de alguma sorte merecer a Vossa Divina Misericórdia.Deus, dai-nos a força para ajudar o progresso, a fim de subirmos até Vós; dai-nos a caridade pura, dai-nos a fé e a razão; dai-nos a simplicidade que fará de nossas almas o espelho onde se refletirá a Vossa Divina e Santa Imagem.Assim Seja.”A prece, denominada de Cáritas, tem sido querida e contritamente orada por várias gerações. Foi psicografada na noite de Natal, 25 de dezembro, do ano de 1873, ditada pela suave Cáritas, em Bordeaux, França.Recebi esta prece de um amigo muito especial e estou postando para sempre lembrar que alguém me “deu” com um carinho enorme de grande este presente. O que seria de nós sem os amigos?”Ama e faz o que quiseres. Se calares, calarás com amor; se gritares, gritarás com amor; se corrigires, corrigirás com amor; se perdoares, perdoarás com amor. Se tiveres o amor enraizado em ti, nenhuma coisa senão o amor serão os teus frutos.” (Santo Agostinho).Por hoje é só, pessoal! Paz e luz dos anjos em todos os corações! (Frase muito utilizada pela amiga Felina do ~~♥~~CANTINHO FELINO 2009~~♥~~ FELINA E QUARTETO R/ . Conheçam! Fiquem com Deus!

Share

Jesus está voltando!

Leitor(a) Amigo(a),

Utilizei a imagem do livro escrito por Rick Medeiros, que fala sobre a volta do Cristo de Deus neste século em que estamos vivendo, para divulgar um lindo texto que recebi da amiga Natália. Passo a transcrever:



“Um jovem de apenas 15 anos estava num ônibus quando Deus tocou o coração dele e pediu que levantasse do banco e falasse aos passageiros sobre a volta do Cristo.
Quando um homem lá atrás gritou ao jovem ‘cala a boca e senta!’, o jovem, envergonhado, sentou-se. Mas novamente foi tocado e levantando, disse as mesmas palavras. O homem, em sua irritação, ameaçou bater nele, e o jovem se calou. Mas Deus continuava tocando seu coração e o jovem se levantou e gritou: ‘Jesus está voltando!’
O homem com seu filho no colo foi em direção ao jovem para agredi-lo quando a criança disse: ‘Papai, não bata nele! É um enviado de Deus!’
Este homem se calou e não pôde conter as lágrimas. As pessoas perguntavam: ‘E agora, porque ele está chorando?’ O homem esclareceu: ‘Foi um milagre! Meu filho era mudo e agora está falando!’
O nosso Deus é o Deus do impossível, é assim que Ele age!”

Decidi divulgar aqui no blog e quem quiser divulgar também fique à vontade, seja por rede social ou e-mail, o importante é contribuir com o anúncio da volta do Cristo de Deus.
Outros livros que falam sobre o assunto: Sob o Signo de Aquário, Universalismo Crístico, A História de Um Anjo, A Nova Era, todos de Roger Bottini Paranhos. 
O tema sugere altas reflexões não? 

Abraço fraterno,

Marlene Oliveira

Share

A singularidade de Jesus e a condição bíblica para a salvação comentadas.

Imagem: Mirrored Wings
Querido(a) Leitor(a),
 
Todos os textos que tratam da singularidade de Jesus apontam para os perigos do pluralismo pós-modernista.
Antes de expor minha ideia baseada no Evangelho de Jesus Cristo, passo a explicar, em breves palavras, o que significam as expressões ecumenismo, singularidade de Cristo e Pluralismo pós-modernista.
 
ECUMENISMO – entre estas é a expressão mais conhecida e emprega-se o termo para os esforços em favor da unidade entre igrejas cristãs.
SINGULARIDADE DO CRISTO textos-chave: Atos 4.12, 1João5.11-12 e, especialmente “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim.” (Jesus, João 14.6).  Singular quer dizer único, exclusivo, ou seja, Jesus é o caminho único que leva à salvação.
PLURALISMO PÓS-MODERNISTA –
ou secularismo, relativismo, pós-modernismo e pluralismo. Entramos nos
tempos pós-modernos na segunda metade do século passado, com os seus
prós e os seus contras. Para resumir vou citar um pró e um contra:
Pró – o abandono da arrogância cultural e teológica, exposta anteriormente quando explicamos o restritivismo. Afinal,
um Deus de amor não deixará de fora outras nações não evangelizadas. Os
que defendem esta tese talvez carreguem o desejo de poder e de culto ao
orgulho e à vaidade pois, em suas posições dogmáticas, acreditam serem
os donos exclusivos da verdade.
Contra – a
inversão dos valores que validam comportamentos que não condizem com a
moral cristã, ao abrir mão de ensinar a negação de nós mesmos lutando
contra nossos próprios pecados, a fim de nos melhorarmos a cada dia.
Ocorre que teólogos, pastores e seminaristas questionaram, quanto à singularidade de Cristo: 

1/  “As pessoas devem conhecer o Evangelho de Jesus Cristo para serem salvas?”
2/  “Há pessoas devotas, em outras religiões, as quais confiam  em Deus e assim recebem a salvação eterna?”
Para responder a estas perguntas teólogos, pastores e seminaristas investigaram o assunto sob as perspectivas bíblica, teológica e filosófica criando três pontos de vista sobre o destino dos não-evangelizados: Restritivismo, Inclusivismo e Perseverança Divina. Vejamos o que diz cada um:
Restritivismo: afirma que Deus não provê salvação para aqueles que não ouvem acerca de Jesus.
·   Inclusivismo: defende que os não-evangelizados podem vir a ser salvos, se responderem a Deus em fé, baseados na revelação que possuem. Textos-chave: João 12.32, Atos 10.43 e 1Timóteo 4.10. 
P Perseverança Divina (ou Evangelismo Post-mortem): crê que os não evangelizados recebem uma oportunidade de crer em Jesus depois da morte. Textos-chave: João 3.18, 1Pedro 3.18-4.6.
Conclusão
Proponho desde logo um progresso de ideias para o que é santo, justo e verdadeiro. 
Esqueçamos a pós-modernidade que teve início na segunda metade século passado e vamos olhar para o futuro, que é a Nova Era, que surge no horizonte da vida humana assim como profetizou Jesus há dois mil anos.
Jesus nos diz claramente do que precisamos fazer para sermos salvos em Lucas, 10:25-37.
Toda a moral de Jesus se resume na caridade e na humildade, duas virtudes contrárias ao egoísmo e ao orgulho, assim como os dois mandamentos maiores são amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a ti mesmo. (Também em Mateus, 22:34-40).
Em Mateus 25:31-46, ou seja, naquele julgamento supremo, o Juiz perguntará se preenchemos tal ou qual formalidade, se observamos mais ou menos tal ou qual prática exterior? Não! Inquire tão somente, em última análise, se a caridade foi praticada.
Naquele mesmo julgamento, informa-se, por acaso, da ortodoxia da fé? 
Faz qualquer distinção entre o que crê de um modo e o que crê de outro modo? 
Não! Jesus coloca o samaritano, considerado herético, mas que pratica o amor ao próximo, acima do ortodoxo que falta com a caridade.
Não considera, portanto, a caridade como uma das condições para a salvação, mas como condição única!
Desse modo, vamos ficar com o inclusivismo explicado acima, pois aquele que não conhece Jesus mas pratica a caridade, que é um claro sinal de que ama ao seu próximo,  está, mesmo sem saber, cumprindo os ensinamentos de Jesus. 
Obrigada por sua visita e até o próximo post!

Marlene Oliveira

Share

O cristianismo ante à diversidade

Recebi por e-mail o texto A Pós-Modernidade e a Singularidade de Cristo, de autoria de Ricardo Barbosa de Souza, conferencista e pastor da Igreja Presbiteriana do Planalto, em Brasília.

Ele fala do desafio do cristão dos dias atuais, que lhe parece difícil e contraditório porque requer, por um lado, “a inclusão, buscando receber, acolher e amar os diferentes, mas também rejeitar, confrontar e lutar contra o pecado”.    Interpretei que ele está afirmando que os diferentes são pecadores  … Sim, somos todos, mas seriam esses ‘diferentes’  tão mais pecadores que fica difícil conviver com eles, aceitá-los? 
É uma grande responsabilidade interpretar o Novo Testamento, mas é claro que Jesus fez da prática das virtudes condição expressa de salvação. E é óbvio que Jesus tratou os diferentes de seu tempo com tanto amor e igualdade que escandalizou os escribas e os fariseus hipócritas.

Jesus disse claramente para não julgarmos (Mateus 7:1). Entretanto, as pessoas insistem em misturar o que Moisés ensinou e o que Jesus confirmou. Sou fã de Moisés, ele conseguiu ter autoridade sobre umas cinquenta mil pessoas, conduzindo-as e governando-as com rigor. Foi necessário. Sem tal autoridade creio que teria falhado em sua missão de fazer o povo crer no Deus Único. Ele cometeu alguns excessos, e eu o compreendo: diante de um povo bruto a linguagem condizente era, por vezes, a espada. Só muitos séculos depois é que a humanidade estava preparada, e Moisés tem crédito nisso, para ouvir a mensagem de Jesus Cristo, de amor e humildade.

“O Céu e a Terra passarão, mas as minhas palavras não passarão.” (Mateus, 24:35.)

“As palavras de Jesus não passarão, porque serão verdadeiras em todos os tempos. Será eterno o seu código  moral, porque consagra as condições do bem que conduz o homem ao seu destino eterno. (…) Sendo uma só, e única, a verdade não pode achar-se contida em afirmações contrárias e Jesus não pretendeu imprimir duplo sentido às suas palavras. Se, pois, as diferentes seitas se contradizem; se umas consideram verdadeiro o que outras condenam como heresias, impossível é que todas estejam com a verdade. Se todas houvessem apreendido o sentido verdadeiro do ensino evangélico, todas se teriam encontrado no mesmo terreno e não existiriam seitas. O que não passará é o verdadeiro sentido das palavras de Jesus; o que passará é o que os homens construíram sobre o sentido falso que deram a essas mesmas palavras. Tendo por missão transmitir aos homens o pensamento de Deus, somente a sua doutrina, em toda a pureza, pode exprimir esse pensamento. Por isso foi que ele disse: ‘Toda planta que meu Pai celestial não plantou será arrancada.’(Mateus 15:13)” (Extraído do livro… adivinhe! Revelo nos próximos posts!)

Não devemos aceitar idéias de quem quer que seja sem questionar. É o que estou fazendo. Você, eu, todos nós como humanidade somos inteligentes, graças a Deus! E duvidar, questionar, investigar e buscar respostas nas palavras de Jesus Cristo, sem desviá-las do verdadeiro sentido, em consequência dos preconceitos e da ignorância das leis da Natureza, deve agradar a Deus.

“Jesus é o centro divino da verdade e do amor, em torno do qual gravitamos e progredimos.” (Emmanuel)

Até breve!

Marlene Oliveira

Share

Transmissão de pensamentos: será que existe?


Creio que aconteceu com você também, eis um exemplo: você ouve uma frase, lembra de uma música e em seguida alguém perto de você começa a cantar a mesma música! Dizemos: que coincidência! Entretanto, se nada acontece por acaso, então coincidências inexistem. Segundo a neurociência, nossos pensamentos têm cores, formas, podem nos beneficiar ou nos causar muitos males. Eu poderia citar várias doutrinas ou filosofias neste sentido. Cito ao menos uma: a filosofia Seicho-No-Ie, cujo objetivo é despertar no coração das pessoas a verdade de que todos são filhos de Deus e fazer com que, através de atos, palavras e pensamentos, tornemos este mundo um mundo melhor.
Ou seja, precisamos cuidar de vigiar os pensamentos que alimentamos todo o tempo, evitando os pensamentos negativos e cultivando os pensamentos positivos.

“Vigiai e Orai, para não cairdes em tentação”. – Jesus (Mateus, 26,41).

Eis uma lição que vale a pena colocar em prática!

Marlene Oliveira

Share

Por que é irracional a intolerância religiosa


Resposta: as religiões são boas, ensinam a amar, todavia a humanidade ainda não aprendeu esta sublime lição.
Todas as religiões que têm por finalidade religar o homem a Deus são boas.  Esta é uma lição aprendida estudando a história das religiões, comparando a semelhança que há nos ensinamentos de cada uma e, sobretudo, acreditando que a origem de todas as religiões é uma só: Deus! E é por ser origem comum que Deus enviou vários mensageiros em períodos diversos,  em lugares diversos, para ensinar a humanidade o caminho da evolução espiritual. 

Encontrei num livro espírita, psicografado por Norberto Peixoto, de autoria do espírito Ramatís treze textos que só comprovam o que escrevi até aqui, conhecidos como a regra de ouro das religiões do mundo. Comparem, que interessante:

“Bem-aventurados os que temem magoar outrem por pensamento, palavras e obras.” (Sufismo);

“Não coloques em ninguém um fardo que não desejarias para ti, e não desejes a ninguém o que não desejarias para ti mesmo.”  (Fé Baha’i);

“A natureza só é amiga quando não fazemos aos outros nada que não seja bom para nós mesmos.” (Zoroastrismo);

“Na felicidade e na infelicidade, na alegria e na dor, precisamos olhar todas as criaturas assim como olhamos a nós mesmos.” (Jainismo);

“Julga aos outros como a ti julgas. Então participarás dos céus.” (Sikhismo);

“Afirmamos e promovemos o respeito pela rede de interdependência de toda a existência da qual fazemos parte.”  Princípio Unitário. (Unitarianismo);

“Ninguém pode ser crente até que ame seu irmão como a si mesmo.” (Islamismo);

“De cinco maneiras um verdadeiro líder deve tratar seus amigos e dependentes: com generosidade, cortesia, benevolência, dando o que deles espera receber e sendo tão fiel quanto sua própria palavra.”  (Budismo);

“Não faças aos outros aquilo que não queres que eles te façam.”    (Confucionismo);

“Considera o lucro de teu vizinho como o teu próprio e seu prejuízo como se também fosse teu.” (Taoísmo);

“Não faças ao teu semelhante aquilo que para ti mesmo é doloroso.” (Judaísmo);

“Não faças aos outros aquilo que, se a ti fosse feito, causar-te-ia dor.” (Hinduísmo);

“Tudo quanto quereis que os homens vos façam, fazei-o também a eles.” (Cristianismo)

As pessoas oram em Igrejas Católicas, Evangélicas, Centros Espíritas, Mesquita, nos lares e templos… Acredito que toda oração é ouvida lá em cima, anotada, atendida, de acordo com a fé de cada um.

Impossível
ser Deus, o Espírito Criador do Universo, um privilégio desta ou daquela crença. Deus atende a todos
aqueles que O buscam, não interessa qual a fé que a pessoa professa.

Então, onde está Deus? Deus está dentro de cada um de nós.

Muita paz,

Marlene Oliveira

Share