O cristianismo ante à diversidade

Recebi por e-mail o texto A Pós-Modernidade e a Singularidade de Cristo, de autoria de Ricardo Barbosa de Souza, conferencista e pastor da Igreja Presbiteriana do Planalto, em Brasília.

Ele fala do desafio do cristão dos dias atuais, que lhe parece difícil e contraditório porque requer, por um lado, “a inclusão, buscando receber, acolher e amar os diferentes, mas também rejeitar, confrontar e lutar contra o pecado”.    Interpretei que ele está afirmando que os diferentes são pecadores  … Sim, somos todos, mas seriam esses ‘diferentes’  tão mais pecadores que fica difícil conviver com eles, aceitá-los? 
É uma grande responsabilidade interpretar o Novo Testamento, mas é claro que Jesus fez da prática das virtudes condição expressa de salvação. E é óbvio que Jesus tratou os diferentes de seu tempo com tanto amor e igualdade que escandalizou os escribas e os fariseus hipócritas.

Jesus disse claramente para não julgarmos (Mateus 7:1). Entretanto, as pessoas insistem em misturar o que Moisés ensinou e o que Jesus confirmou. Sou fã de Moisés, ele conseguiu ter autoridade sobre umas cinquenta mil pessoas, conduzindo-as e governando-as com rigor. Foi necessário. Sem tal autoridade creio que teria falhado em sua missão de fazer o povo crer no Deus Único. Ele cometeu alguns excessos, e eu o compreendo: diante de um povo bruto a linguagem condizente era, por vezes, a espada. Só muitos séculos depois é que a humanidade estava preparada, e Moisés tem crédito nisso, para ouvir a mensagem de Jesus Cristo, de amor e humildade.

“O Céu e a Terra passarão, mas as minhas palavras não passarão.” (Mateus, 24:35.)

“As palavras de Jesus não passarão, porque serão verdadeiras em todos os tempos. Será eterno o seu código  moral, porque consagra as condições do bem que conduz o homem ao seu destino eterno. (…) Sendo uma só, e única, a verdade não pode achar-se contida em afirmações contrárias e Jesus não pretendeu imprimir duplo sentido às suas palavras. Se, pois, as diferentes seitas se contradizem; se umas consideram verdadeiro o que outras condenam como heresias, impossível é que todas estejam com a verdade. Se todas houvessem apreendido o sentido verdadeiro do ensino evangélico, todas se teriam encontrado no mesmo terreno e não existiriam seitas. O que não passará é o verdadeiro sentido das palavras de Jesus; o que passará é o que os homens construíram sobre o sentido falso que deram a essas mesmas palavras. Tendo por missão transmitir aos homens o pensamento de Deus, somente a sua doutrina, em toda a pureza, pode exprimir esse pensamento. Por isso foi que ele disse: ‘Toda planta que meu Pai celestial não plantou será arrancada.’(Mateus 15:13)” (Extraído do livro… adivinhe! Revelo nos próximos posts!)

Não devemos aceitar idéias de quem quer que seja sem questionar. É o que estou fazendo. Você, eu, todos nós como humanidade somos inteligentes, graças a Deus! E duvidar, questionar, investigar e buscar respostas nas palavras de Jesus Cristo, sem desviá-las do verdadeiro sentido, em consequência dos preconceitos e da ignorância das leis da Natureza, deve agradar a Deus.

“Jesus é o centro divino da verdade e do amor, em torno do qual gravitamos e progredimos.” (Emmanuel)

Até breve!

Marlene Oliveira

Share

Transmissão de pensamentos: será que existe?


Creio que aconteceu com você também, eis um exemplo: você ouve uma frase, lembra de uma música e em seguida alguém perto de você começa a cantar a mesma música! Dizemos: que coincidência! Entretanto, se nada acontece por acaso, então coincidências inexistem. Segundo a neurociência, nossos pensamentos têm cores, formas, podem nos beneficiar ou nos causar muitos males. Eu poderia citar várias doutrinas ou filosofias neste sentido. Cito ao menos uma: a filosofia Seicho-No-Ie, cujo objetivo é despertar no coração das pessoas a verdade de que todos são filhos de Deus e fazer com que, através de atos, palavras e pensamentos, tornemos este mundo um mundo melhor.
Ou seja, precisamos cuidar de vigiar os pensamentos que alimentamos todo o tempo, evitando os pensamentos negativos e cultivando os pensamentos positivos.

“Vigiai e Orai, para não cairdes em tentação”. – Jesus (Mateus, 26,41).

Eis uma lição que vale a pena colocar em prática!

Marlene Oliveira

Share

Por que é irracional a intolerância religiosa


Resposta: as religiões são boas, ensinam a amar, todavia a humanidade ainda não aprendeu esta sublime lição.
Todas as religiões que têm por finalidade religar o homem a Deus são boas.  Esta é uma lição aprendida estudando a história das religiões, comparando a semelhança que há nos ensinamentos de cada uma e, sobretudo, acreditando que a origem de todas as religiões é uma só: Deus! E é por ser origem comum que Deus enviou vários mensageiros em períodos diversos,  em lugares diversos, para ensinar a humanidade o caminho da evolução espiritual. 

Encontrei num livro espírita, psicografado por Norberto Peixoto, de autoria do espírito Ramatís treze textos que só comprovam o que escrevi até aqui, conhecidos como a regra de ouro das religiões do mundo. Comparem, que interessante:

“Bem-aventurados os que temem magoar outrem por pensamento, palavras e obras.” (Sufismo);

“Não coloques em ninguém um fardo que não desejarias para ti, e não desejes a ninguém o que não desejarias para ti mesmo.”  (Fé Baha’i);

“A natureza só é amiga quando não fazemos aos outros nada que não seja bom para nós mesmos.” (Zoroastrismo);

“Na felicidade e na infelicidade, na alegria e na dor, precisamos olhar todas as criaturas assim como olhamos a nós mesmos.” (Jainismo);

“Julga aos outros como a ti julgas. Então participarás dos céus.” (Sikhismo);

“Afirmamos e promovemos o respeito pela rede de interdependência de toda a existência da qual fazemos parte.”  Princípio Unitário. (Unitarianismo);

“Ninguém pode ser crente até que ame seu irmão como a si mesmo.” (Islamismo);

“De cinco maneiras um verdadeiro líder deve tratar seus amigos e dependentes: com generosidade, cortesia, benevolência, dando o que deles espera receber e sendo tão fiel quanto sua própria palavra.”  (Budismo);

“Não faças aos outros aquilo que não queres que eles te façam.”    (Confucionismo);

“Considera o lucro de teu vizinho como o teu próprio e seu prejuízo como se também fosse teu.” (Taoísmo);

“Não faças ao teu semelhante aquilo que para ti mesmo é doloroso.” (Judaísmo);

“Não faças aos outros aquilo que, se a ti fosse feito, causar-te-ia dor.” (Hinduísmo);

“Tudo quanto quereis que os homens vos façam, fazei-o também a eles.” (Cristianismo)

As pessoas oram em Igrejas Católicas, Evangélicas, Centros Espíritas, Mesquita, nos lares e templos… Acredito que toda oração é ouvida lá em cima, anotada, atendida, de acordo com a fé de cada um.

Impossível
ser Deus, o Espírito Criador do Universo, um privilégio desta ou daquela crença. Deus atende a todos
aqueles que O buscam, não interessa qual a fé que a pessoa professa.

Então, onde está Deus? Deus está dentro de cada um de nós.

Muita paz,

Marlene Oliveira

Share